sábado, 14 de maio de 2011

Como prevenir e tratar as varizes

Hoje vou falar de algo que infelizmente afecta muitas pessoas, e em regra geral  afecta mais mulheres do que homens, as varizes!

Muitas pessoas não sabem definir o que são as varizes, quais as causas que podem provocar o aparecimento das varizes (e adianto desde já que são muitas as causas), quais os metodos de prevenção e em ultimo caso que tratamento podemos fazer.

Por tópicos vou tentar vos explicar estes passos da melhor maneira possível para que vos possa ser útil ao longo da vida, pois quem não tem deve prevenir e quem tem deve de tratar!


O que são as varizes?

As varizes é nada mais nada menos do que a dilatação e tortuosidade das veias, geralmente dos membros inferiores, que ocorre devido a uma deficiência das válvulas e das paredes internas das veias, que fazem com que o sangue não circule de volta para o coração, permitindo a sua acumulação no interior das mesmas ou às vezes o seu refluxo.


Quais as principais causas e factores para o seu aparecimento?

São vários os factores que contribuem para o aparecimento das varizes, ou que quando já existem podem agravá-las.

Entre as principais causas e factores temos:

Sexo: Maior incidência no sexo feminino, apesar de existir uma predominância relativa da mulher sobre o homem, com a idade o número de homens com doenças de circulação tende a igualar-se ao das mulheres;

Gravidez: Estudos demonstraram que as varizes aumentam em função do número de gravidezes, contudo existem mulheres que nunca estiveram grávidas mas que desenvolvem varizes, e outras que já tendo estado grávidas, com os devidos cuidados, nunca desenvolveram este problema.


varizes

Envelhecimento: Apesar de ser mais frequente em pessoas adultas, ultimamente, o número de jovens e até mesmo de adolescentes afectados pelas varizes é cada vez maior;

Hereditariedade: Esta doença “passa” de gerações para as gerações futuras. Filhos ou netos de doentes com varizes e outras doenças de circulação têm uma probabilidade maior de virem a desenvolver estes problemas, do que uma pessoa cujos ascendentes não tenham histórico destes problemas;

Factores e Terapêuticas Hormonais: Puberdade, gravidez, menopausa, pílulas e outros meios hormonais contraceptivos, medicamentos a base de estrógenio e progesterona contribuem significativamente para aparecimento ou agravamento da doença;

Sedentarismo: a falta de actividade física, estar em pé ou ainda com as pernas cruzadas por períodos de tempo prolongados pode trazer este tipo de problemas, uma vez que nestas circunstâncias o sangue encontra maior dificuldade em subir ao coração;

Algumas Profissões: como as cabeleireiras, enfermeiras, hospedeiras de bordo, professoras, esteticistas, e outras profissões em que a pessoa tenha que ficar de pé por várias horas, sofrem mais que outras desta doença;

Obesidade: o excesso de peso é um factor muito importante na história clínica de doentes com varizes. Quanto maior o excesso de peso, maior a probabilidade da pessoa vir a ter varizes e outras doenças vasculares num futuro próximo;

Traumatismos: Os expecialistas dizem que existe um número maior de varizes em doentes que tiveram um histórico de acidentes ou traumatismos físicos. É muito frequente surgirem derrames (Telangiectasias) em locais onde a doente “chocou” contra um objecto qualquer e ficou com uma mancha negra (Equimose). Quase sempre, em doentes com varizes, depois dessa mancha passar, surgem nesse mesmo local vários derrames que vêem a necessitar de tratamentos;

Actividades físicas: Nem todas as modalidades de desporto são benéficas para a circulação, as actividades mais intensas e anaeróbicas (musculação com peso excessivo), são causadoras de problemas circulatórios ou agravam os já existentes. Doentes com este tipo de problema devem sempre evitar exercícios de carga, como levantar pesos, e privilegiar exercícios como caminhada, natação, ciclismo, cardiofitness, etc;

Vestuário: Alguns tipos de roupa e calçado, muito apertados, e que por essa razão dificultam a circulação sanguínea, provocam varizes;

Hábitos alimentares: A alimentação errada, geralmente rica em alimentos ricos em gorduras, e pobre em fibras é um factor indutor de varizes, bem como a pouca ingestão de líquidos. Recomenda-se que no verão um adulto beba em média 2 litros de água por dia;

Hábitos alcoólicos e Tabagismo: Qualquer um destes dois factores, podem com certeza trazer problemas de circulação ou agravá-los quando estes já existem;

Calor: A exposição prolongada ao calor, quer pela exposição solar (mesmo com aplicação de filtros solares) quer pelos banhos de imersão ou não com água quente, são igualmente referidos como causadores de varizes. Depilações a cera quente, ou qualquer outro tipo de situação em que se aplique calor directa ou indirectamente às pernas, são também situações a evitar;

varizes

Tratamento Inadequado: Quando mal executados, quer pela escolha incorrecta da técnica ou do medicamento, ou ainda causada pela falta de prática do clínico, podem haver complicações que se traduzem num agravamento do estado da doença. Covém por isso tratar-se sempre com especialistas experientes;

Doenças Pré Existentes: Pessoas que já tenham tido algumas doenças como a Trombose Venosa Profunda prévia, podem vir a desenvolver varizes superficiais secundárias. Recomenda-se nestas circunstâncias uma vigilância clínica ainda mais regular.


Quais os Sintomas?

Qualquer descrição de sintomas em medicina, está sempre sujeita a probabilidade de dois doentes com a mesma doença virem a experimentar sinais e/ou sintomas relativamente diferentes.

Quer dizer, da lista de sintomas que vou referir, nem sempre o doente tem que ter todos os sintomas, pois algumas pessoas por exemplo podem estar num grau evolutivo da doença em que só uma cirurgia resolve o problema e ainda assim continuar relativamente assintomático (sem queixas).
Na grande maioria das vezes, a principal razão que leva as pessoas ao nosso consultório, é a preocupação com a estética, quando em pé as veias ficam dilatadas, tortuosas e muito visíveis.
Além disso, podem estar presentes outros sinais e sintomas, tais como:

Dores nas pernas;
Presença de veias azuladas;
Derrames;
Ardor nas pernas e planta dos pés;
Inchaço, principalmente nos tornozelos ao final do dia;
Comichão;
Cansaço nas pernas;
Incapacidade de andar grandes distâncias, sem ter que fazer pausas;
Sensação de peso nas pernas;
Pernas inquietas;
Pigmentação;
Câimbras.


Como Prevenir?

• Evite usar sapatos com salto muito alto ou com cunha rígida diariamente.
• Evite vestir roupas muito apertadas, que dificultem a circulação.
• Antes de começar terapêuticas hormonais, fale com o seu médico sobre as possíveis alternativas, caso existam. O mesmo aplica-se à pílula anticoncepcional.
• Evite carregar cargas. Se for inevitável, procure alternativas como carrinhos de mão, por exemplo.
• Não fique o dia inteiro na mesma posição. Sempre que possível, levante-se e ande, isso ajuda a estimular a circulação sanguínea.
• Relativamente aos exercícios físicos, evite os exercícios de esforço/carga e privilegie sempre os exercícios de movimento, tais como ciclismo, caminhada, natação, hidroginástica, etc.
• Deitada, faça bicicleta. De pé, flicta o pé do calcanhar até as pontas dos dedos e vice-versa. Ande em bicos dos pés. Sentada faça círculos com os pés ou balance-os.
• Caminhe diariamente pelo menos 30 minutos sem parar, numa superfície plana.
• Use escadas em vez de elevador, e sempre que possível troque os transportes por caminhadas.
• Evite cruzar as pernas. Ajuste a altura do assento de modo a que as coxas fiquem em posição relaxada e com as costas direitas.
• Evite exposição a fontes de calor, por longos períodos de tempo, como saunas, depilação a quente, banhos de imersão quentes, exposição solar.
• Termine o banho sempre com água fria. No verão, molhe as pernas com água fria e não as seque.
• Opte por uma alimentação saudável. Custa o mesmo ou as vezes até menos. Consuma produtos integrais, frutas e bastantes verduras e legumes. Evite as gorduras e doces, e faça 5 refeições pequenas, ao contrário de 2 ou 3 pesadas.
• Beba diariamente pelo menos 2 litros de água.
• Evite fumar e consumir bebidas alcoólicas em excesso.


Tratamento

O tratamento das varizes, tal como em qualquer outra doença, obedece a critérios muito rígidos, e que resultam da experiência clínica que se acumulou na especialidade.
Importa relembrar que as varizes são um problema crónico, ou seja, o tratamento visa controlar a evolução da doença, diminuindo assim o risco de ocorrência de complicações, e melhorando significativamente a qualidade de vida dos doentes desde as primeiras fases da doença.
Se a motivação for apenas estética, é legitima, uma vez que a saúde também é a melhoria da autoestima e o bem-estar psicológico dos doentes.
É por isso muito importante contrariar a ideia de que as varizes, nas suas fases iniciais, são apenas um problema estético. Isto é absolutamente errado. É nas suas fases iniciais, por vezes muito sintomáticas, que devem, desde logo, tratar.
Os tratamentos serão periódicos, ou seja, pelo menos uma vez por ano, cada doente, depois de tratada a fase inicial, deverá voltar ao consultório para vigilância e tratamentos de “manutenção”.


As varizes existem e são inestéticas mas pior do que a estética é as complicações que nos podem trazer pela vida fora.

A melhor solução será sempre prevenir, mas se as varizes já chegaram até si então trate já delas, não deixe que piorem, depois pode ser muito tarde.

Espero que tenham gostado e que ajude algumas meninas a perderem o receio de ir a um especialista ou a perderem o hábito do "deixa andar"

varizes



Mensagem By Beauty Blogger Vânia Martins

cosmeticos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pesquisar Aqui